Menu
A+ A A-
Quais problemas frequentes no trabalho com plataformas? E como podem ser minimizados?

Quais problemas frequentes no trabalho com plataformas? E como podem ser minimizados?

Quando trabalhamos com uma plataforma de trabalho aéreo, precisamos saber quais são suas atribuições, como peso total do equipamento, qual sua capacidade máxima de peso no cesto;

formas de recarregamento de carga, o que preciso verificar tal como água no reservatório de baterias, entre outros fatores.  Contudo, observamos em muitos lugares que nem sempre o operador tenha obtido o treinamento de plataforma, para poder operar, com isso o risco de uma operação insegura aumenta drasticamente, comprometendo inclusive a vida útil da plataforma e seu bom funcionamento. 

Por tanto, primeiramente é essencial que o operador saiba como operar e o que precisa fazer para operar a plataforma de maneira segura. Lembrando que essencialmente o operador precisa ter conhecimento da máquina específica, pois em muitos casos a operação muda entre um equipamento e outro.

É necessário diariamente fazer um check list de funcionamento do equipamento, caso haja alguma obstrução, fazer contato com equipe que possua capacidade técnica para resolver o problema apresentado.  

Um dos itens essenciais é o cuidado com as baterias (leia em nosso blog: funcionamento e cuidado com as baterias das plataformas elevatórias)

Falta de um plano preventivo efetivo, pode causar o mau funcionamento do equipamento, contudo, abaixo damos algumas dicas para o bom funcionamento. 

1. Sempre manter lubrificado, todas as junções da plataforma, para que não haja oxidação e desgaste, pois isso pode comprometer o sistema hidráulico devido a necessidade de exercer mais força entre motor e bomba, devido as articulações estarem com certa obstrução. 

2. Observação do nível de água desmineralizada no reservatório das baterias. O nível de água deve ser olhado todos os dias, pois a água evapora e com o tempo pode baixar começando a comprometer as placas. Com isso perde-se a massa das baterias, perdendo autonomia de carga, gerando risco de superaquecimento, curto interno nas baterias, e inclusive risco de explosão. Lembrando que a água deve ser colocada entre 1 e 2 cm acima da placa, de maneira que não dê excesso correndo-se o risco de vazar.

3. Manter sempre o equipamento carregado, pois ao deixar as baterias totalmente descarregadas, pode gerar a chama descarga profunda das baterias, atingindo assim o nível elevado de sulfatação, quando o sulfato cola todo na placa e já não se descola mais.

4. Observar o cabeamento ligado às baterias, se apresentam oxidação ou zinabre, isso pode cortar o sinal de voltagem para o módulo, podendo comprometer o funcionamento do mesmo e também das contatoras, que atual com a voltagem correta.

5. Substituição do filtro hidráulico de acordo com a recomendação do fabricante, que em geral inicia-se a partir de 50 horas, e posteriormente passa-se a trocar a cada 250 horas.

Quanto à substituição do óleo deve ser observado a característica em que está o óleo e somente substituí-lo pelo óleo recomendado pelo fabricante, sendo que geralmente aplicado pelos fabricantes é o óleo DEXRON III, contudo, antes de trocar, ler o manual corretamente observando o óleo indicado pelo fabricante.

6. Observar a situação das rodas da plataforma, observando se há cortes na borracha que comprometam a estabilidade, torque nos parafusos quando necessário. Em relação às plataformas do fabricante Sky Jack, o torque nas rodas deve ser aplicada força de 90 LBF, recomendado pelo fabricante. 

7. Observação do sistema de frenagem, um dos desgastes frequentes, é a falta de manutenção no sistema do freio, que pode ocasionar um desgaste maior que o normal, por falta de óleo no sistema de torque hub.  Já em alguns modelos possuem freios magnéticos, e no caso da sky jack frenagem por meio de pistão de travamento, por tanto, é muito importante manter lubrificado, nesse caso o sistema do freio possui pontos de graxa que devem ser aplicados trimestralmente pelo menos.

8. Testes operacionais dos comandos de solo e plataforma.  Havendo qualquer problema em algum dos movimentos é recomendado que não opere, até que seja regularizado, pois poderá acarretar novos problemas.

9. Manter sempre limpo o ponto onde correm as tesouras ou de encaixe do ponto do braço, para que não haja obstrução ao levantar ou descer o equipamento.

10. Sempre manter o manual de operação na base da plataforma em um porta manual, de acordo com o fabricante, este é um grande aliado de uma operação segura. Na dúvida é só consultar, pois algumas das dicas acima poderão ser observados no manual oferecido pelo fabricante.

 

As dicas acima são relevantes para uma operação segura e um bom funcionamento diário da plataforma de trabalho aéreo, contudo é recomendável que se faça contrato com empresa especializada para aplicação de manutenção preventiva e corretiva, para que não comprometa ou danifique outras peças de sua plataforma de trabalho aéreo.

Precis de uma assistência técnica ou treinamento, entre em contato conosco, clique aqui!

Última modificação emSegunda, 04 Abril 2016 22:25
Avalie este item
(0 votos)

Mais recentes de Locação de Plataformas Elevatórias | Hazak Brasil

voltar ao topo